Moção de apoio da ABP à entrada do Brasil no ESO

(Processo MSC 40/2013)

Em Assembleia durante o XVIII Encontro da Associa√ß√£o Brasileira de Planet√°rios (ABP), ocorrido entre os dias 22 e 26 de setembro de 2013, em Santo Andr√© (SP), foi redigida e aprovada esta mo√ß√£o de apoio da ABP √† entrada de nosso pa√≠s no European Southern Observatory (ESO), a mais produtiva organiza√ß√£o intergovernamental da √°rea que domina as observa√ß√Ķes astron√īmicas em terra.

Entendemos que a participa√ß√£o do Brasil nesse cons√≥rcio proporcionar√° um espetacular avan√ßo no desenvolvimento da pesquisa acad√™mica e da instrumenta√ß√£o cient√≠fica em Astronomia, da presta√ß√£o de servi√ßos e da ind√ļstria relacionada √† implementa√ß√£o de observat√≥rios de nova gera√ß√£o e, principalmente, da populariza√ß√£o da ci√™ncia e da tecnologia.

Como Carl Sagan j√° apontava sobre a import√Ęncia da alfabetiza√ß√£o cient√≠fica em seu livro ‚ÄúBilh√Ķes e Bilh√Ķes‚ÄĚ, vivemos em uma sociedade baseada na ci√™ncia e tecnologia, na qual a popula√ß√£o considera como dispens√°vel o conhecimento sobre ci√™ncia e tecnologia. Ci√™ncia √© mais do que um corpo de conhecimento, √© uma forma de pensar, necess√°ria para a implementa√ß√£o da democracia. O analfabetismo cient√≠fico leva ao risco de delegarmos a poucos as decis√Ķes, cient√≠ficas ou n√£o, bem como de sermos manipulados por argumentos pseudocient√≠ficos.

Nesse sentido, n√£o devemos apenas investir em mais cientistas melhores preparados, mas tamb√©m aprofundar o entendimento p√ļblico da ci√™ncia. E √© o ensino e a divulga√ß√£o cient√≠fica que t√™m o papel decisivo ao levar para o conhecimento p√ļblico aquele conhecimento produzido pelo desenvolvimento cient√≠fico-tecnol√≥gico e vice-versa. Ghandi j√° colocava que o seu pa√≠s era muito pobre para prescindir de pesquisa. Adicionar√≠amos que igualmente imprescind√≠vel √© o acompanhamento dessa pesquisa pela sociedade.

A Astronomia est√° na linha de frente da ci√™ncia e da tecnologia, abordando quest√Ķes transcendentais sobre nossa exist√™ncia e o mundo em que vivemos bem como buscando continuamente novos instrumentos, processos e capacidades necess√°rios para os desafios da pesquisa, cujas aplica√ß√Ķes s√£o in√ļmeras em in√ļmeras √°reas: computadores pessoais, telefones celulares, pain√©is solares, imageamento por resson√Ęncia magn√©tica e etc.

Por isso √© reconhecido, inclusive pela Uni√£o Astron√īmica Internacional (IAU), a import√Ęncia do desenvolvimento da Astronomia como catalizador do desenvolvimento econ√īmico e social de todas as na√ß√Ķes. O plano estrat√©gico da IAU para o dec√™nio 2010-2020 est√° baseado em tr√™s √°reas: tecnologia e capacidades; ci√™ncia e pesquisa; cultura e sociedade.

Os planet√°rios e seus espa√ßos adicionais, em seus diversos estilos e vincula√ß√Ķes, s√£o locais de divulga√ß√£o cient√≠fica por excel√™ncia. Espa√ßos diferenciados onde talentos s√£o atraidos e estimulados, quest√£o que nosso pa√≠s tem se preocupado. √Č necess√°ria a aproxima√ß√£o desses espa√ßos com o conhecimento atual da Astronomia, mostrando o fazer do astr√īnomo e os desafios atuais da √°rea. A expans√£o das t√©cnicas projetivas complementam as proje√ß√Ķes do c√©u, dos planetas, do Sol, da Lua e das linhas principais que s√£o as ess√™ncias dos planet√°rios tradicionais.

Entre as atividades de divulga√ß√£o cient√≠fica do ESO est√£o: site na Web; livros; livretos, cart√Ķes postais, documentos t√©cnicos sobre o ESO e suas pesquisas; revistas cient√≠ficas; v√≠deos em v√°rias l√≠nguas (inclusive portugu√™s brasileiro) com tours virtuais e imagens; exposi√ß√Ķes; visita√ß√Ķes a suas instala√ß√Ķes; projeto de um centro para visitantes; projeto de um observat√≥rio educativo; e projeto de um novo planet√°rio que pretende inserir-se em um novo modelo de distribui√ß√£o de dados que permitir√° aos planet√°rios a atualiza√ß√£o di√°ria de descobertas, dados e imagens obtidas no mundo por sondas e telesc√≥pios da NASA, ESO, Gemini, SOAR e etc, que poder√£o ser disponibilizados em segmentos ao estilo notici√°rio. Seria um ‚ÄúPortal do Universo‚ÄĚ para planet√°rios.

O ESO j√° est√° produzindo tr√™s programas para planet√°rios, dois dos quais s√£o: ‚Äú√Ä Busca de Nossas Origens C√≥smicas‚ÄĚ e ‚ÄúA √Āgua: uma Aventura C√≥smica‚ÄĚ. Tamb√©m disponibiliza 270 panoramas do mundo para ambienta√ß√£o de planet√°rios.

O trabalho colaborativo com o ESO poder√° elevar aquele realizado por nossos planet√°rios para um patamar mais impactante, experi√™ncias que o p√ļblico levar√° para sempre em suas vidas criando uma atitude pr√≥-ativa com rela√ß√£o √† Astronomia e √† Ci√™ncia em geral. Por outro lado, a ABP representa uma rede de mais de setenta planet√°rios brasileiros que apoiar√° as atividades do ESO.

As descobertas fascinantes sobre a natureza e o Universo que os astr√īnomos brasileiros participar√£o v√£o preencher as p√°ginas de livros escolares, revistas populares, jornais e document√°rios. Em poucas gera√ß√Ķes, a criatividade e a inova√ß√£o ser√£o ampliadas em nossa sociedade. Essa rede onde a ci√™ncia leva √† produ√ß√£o de conhecimento e inova√ß√£o inspirar√° toda a sociedade e s√≥ pode existir se ci√™ncia de alta qualidade for feita, ou seja, se ousarmos atacar problemas para os quais ainda n√£o temos respostas, ou mesmo o melhor m√©todo para resolv√™-los.

Isso é ciência de fronteira. E é isso que a ABP deseja para a nossa nação.

CartaApoioESO.pdf